medical_9

TV Edificar traz entrevista sobre pele de vidro

 Jornalista Naná Garcez recebeu o diretor técnico da Métrica, William Silva

Por Hallita Avelar

Nos grandes centros, já é comum deparar-se com prédios imponentes, muitas vezes corporativos, com fachadas feitas inteiramente de vidro. Em João Pessoa, uma das empresas que realiza esse trabalho é a Métrica Esquadrias, que utiliza o sistema unitizado.

Entre as vantagens deste tipo de fachada estão o conforto térmico proporcionado e a agilidade na montagem, uma vez que 100% da fachada sai da fábrica já pronta.

Para falar sobre esse assunto, a jornalista Naná Garcez conversou com o diretor técnico da Métrica, William Silva. Confira no vídeo abaixo!

Matéria da TV Edificar

medical_7

Fachadas de pele de vidro garantem conforto térmico e dão ar moderno

Visual tem conquistado espaço em prédios corporativos e hospitais.

Por Hallita Avelar

Ao andar pelas ruas de João Pessoa já é comum deparar-se com edifícios cada vez mais modernos. Esse ar contemporâneo pode ser atingido, dentre outras formas, através do investimento em pele de vidro nas fachadas, tendência que vem ganhando cada vez mais adeptos no ramo construtivo da Capital.

As vantagens são muitas, em termos estéticos e práticos, como explica o diretor da Métrica Esquadrias, Fábio Moura.

“Primeiramente, a fachada envidraçada dá um ar de modernidade, de agilidade, mas também traz um conceito ambiental, pois determinados vidros não emitem raios UV para o meio ambiente. Eles ainda promovem conforto térmico e acústico”, resumiu o empresário. Fundada em 2011, a Métrica foca seu trabalho na fabricação e instalação de esquadrias, fachadas em pele de vidro e revestimentos de alumínio.

Segundo Fábio, esse tipo de fachada vem sendo usado, na Paraíba, principalmente em edifícios empresariais e hospitais, apesar de contemplar projetos de toda a cadeia construtiva. Com relação ao conforto térmico apontado pelo empresário, ele conta que isso vai depender muito do vidro escolhido para a fachada.

“Existem vidros de controle solar, aqueles vidros espelhados, que são pensados para que o calor do ambiente externo não passe para a parte interna e isso traz a vantagem de reduzir o consumo de energia com ar condicionado. Dentro do conceito de conforto térmico existem ainda os vidros duplos, mas eles são pouco usados no Brasil”, afirmou, contando também que a opção pela pele de vidro chega a agilizar a obra, uma vez que a fachada pode ser montada enquanto o prédio está sendo construído.

Além disso, o sistema americano de fachada, conhecido comoUnit, permite grande agilidade pelo fato de ser possível fabricar 100% da fachada na indústria, estando ela, assim, pronta para ser montada. Isso dá agilidade aos dois processos, de fabricação e montagem. Quanto à limpeza, conservação e manutenção, ele conta que os cuidados devem ser os mesmos de uma fachada convencional.

Um dos trabalhos mais recentes em pele de vidro da Métrica foi no Eco Medical Center, no Miramar.

Matéria publicada no portal da Revista Edificar.

medical

Sistema unitizado de fachadas

A grande parceria entre a Métrica e a Eco Construções resulta  na Paraíba a primeira obra a utilizar o sistema unitizado de fachadas pele de vidro.

O Eco Medical Center Cartaxo, um empreendimento da Eco Construções,  é o maior centro médico do Estado e está em fase de acabamento. Sua belíssima fachada pele de vidro foi instalada no sistema unit.

Esse sistema inovador consiste na produção de painéis na fábrica, cada um na altura de um pavimento (entre 3,4 e 3,5 m). Esses painéis são transportados para o canteiro de obras, onde são içados para serem instalados no seu devido vão, de baixo para cima.

Esse processo exige maior planejamento fabril e menos na sua execução.

cobertura_destacada

Cobertura de vidro

Fazer o estudo de fachada ou execução do projeto seguindo a proposta do arquiteto exige novo serviço especializado

Por Naná Garcez.

O mercado paraibano da construção civil está gerando mais especializações em serviços complementares e de acabamento das obras. Com isso, na área de cobertura de vidro ou pele de vidro, um envoltório que destaca as fachadas do ponto de vista estético com influência no conforto térmico e no consumo de energia.

Para usar esse recurso, a aplicação deve ser feita por empresa especializada, que dê garantia dos serviços, realize a manutenção e use a tecnologia apropriada, como o processo unitizado, que é industrializado, porque tem planejamento detalhado, produção das esquadrias na fábrica e a implantação do sistema de ancoragem para instalação da peça inteira, andar do andar, podendo ocorrer antes mesmo da conclusão total do empreendimento.
Na Paraíba, a empresa Métrica, de Fábio Barbosa de Moura e William Silva, passaram a integrar à AFEAL – Associação de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio e a buscar o reconhecimento técnico de qualidade, para inserir o produto que fazem no Programa Setorial de Qualidade, do Programa Brasileiro de Qualidade na Habitação, do Ministério das Cidades.

“Somos uma empresa que trabalha com o conceito de engenharia em fachada, treinamos a nossa mão de obra dentro da empresa, fizemos um trabalho de integração da equipe e temos um engenheiro de produção que é o William Silva, que faz o estudo de medição, determinando a colocação das ancoragens, pois tudo tem que ser muito preciso para instalação dos quadros fabricados na empresa ”, explica o diretor comercial Fábio Barbosa.

Ele acrescenta que o engenheiro acompanha e controla todos os processos, tanto na indústria como no momento da instalação da pele de vidro na obra, para minimizar perdas através da quebra de  vidros ou de danos aos perfis.

Este cuidado garante a estanqueidade da fachada, ou seja, garante o fechamento, evita vazamentos, pois as fachadas são áreas expostas às intempéries naturais, como sol e chova. Atualmente, a empresa tem participado de obras em Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Bahia Rio Grande do Norte e Ceará.

Matéria publicada na Revista Edificar. 

alameda

Grande parceria

A Métrica Esquadrias vai além das barreiras do Estado da Paraíba e fecha grande parceria com a Moura Dubeux Engenharia.

A Moura Dubeux Engenharia é uma das maiores incorporadoras do Nordeste, atua em Pernambuco, Alagoas, Bahia, Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba.

A Métrica trabalha na fabricação e instalação de esquadrias para os seguintes empreendimentos da construtora: Parque Cidade Jardim (Natal-RN), Bossa Nova (Natal-RN), Atlântico Norte (Natal-RN) e Alameda Lagoa Nova (Recife-PE).

Faça como a Moura Dubeux Engenharia e seja você também um parceiro da Métrica Esquadrias.

 

hospital

Hospital Nossa Senhora das Neves

A Métrica se consolida como maior fabricante de fachadas pele de vidro do Estado da Paraíba.

Foi concluída a instalação da fachada pele de vidro do mais novo hospital de João Pessoa, o Hospital Nossa Senhora das Neves possui uma belíssima fachada pele de vidro da Métrica Esquadrias.

encaixeprecisao_destacada

Encaixe e Precisão

Por Naná Garcez

encaixe_precisao_2Sistema unitizado de fechamento de fachada com pele de vidro traz mais agilidade ao processo de finalização da obra. A partir deste mês de maio, no bairro de Intermares, em Cabebelo (PB) vai começar a funcionar a Métrica Esquadrias, empresa nova que se instala na Paraíba trazendo o Sistema Unit, mais avançado que o tradicional Sistema Stick, para revestir uma obra com aplicação de painéis de vidro. A empresa está sendo montada pelos empresários Fábio Barbosa de Moura (diretor comercial) e William Silva (engenheiro de produção).

A empresa que vai produzir os painéis de fachada de pele de vidro pelo sistema Unit está, temporariamente, instalada em Cabedelo. A sede definitiva ficará em Caaporã, numa área de 18 mil m² e deve funcionar como fábrica modelo. Os equipamentos novos são procedentes da Itália e da Espanha. O alumínio a ser usado vem da Alcoa e o vidro é produzido pela Cebrace.

Foi o que explicou o diretor comercial Fábio Barbosa de Moura, há 13 anos neste mercado e sócio de William Silva na nova indústria. Ele esclarece que este processo envolve mais planejamento fabril e menos tempo de execução, portanto, permite ao construtor mais controle de qualidade sobre o produto final que é o painel, assim como traz impacto positivo na obra, porque mais rapidamente o prédio é revestido, mostrando a beleza da edificação e transmitindo confiança ao mercado.

O primeiro trabalho Métrica Esquadrias será a fachada do Eco Medical Center Cartaxo, com obra em fase bem adiantada. Serão instalados 3.000 m² de pele de vidro num prazo estimado de 40 dias, com velocidade média de instalação de 130m²/dia, em condições climáticas favoráveis, como dias de sol e pouco vento. Na edificação, o vidro refletivo proporciona redução da entrada de calor, o que minimiza o uso do ar condicionado e diminui o gasto com energia. Como é laminado, em caso de quebra, o material se fragmenta, mas fica no local, sem causar cortes em que estiver por perto.

Empresários têm experiência no setor

O Fórum Criminal situado na esquina da Av. João Machado com a Rua Rodrigues de Aquino, e a Estação Ciência, no Altiplano do Cabo Branco, em João Pessoa (PB) são dois exemplos de fachada de pele de vidro, dando mais beleza à edificação. No entanto, nos dois casos, a aplicação dos painéis foi com o tradicional Sistema Stick, feito de forma semiartesanal, porque, primeiro, se faz o sistema de ancoragem, depois se coloca a esquadria, a seguir o vidro, sendo estas duas etapas executadas no ambiente da obra.

Desde 2001, nos Estados Unidos, e de 2002, no Brasil, vem sendo aplicado o Sistema Unit (ou unitizado) de fachadas com pele de vidro, que, agora, chega à Paraíba. Neste processo, o painel na altura de um pavimento (entre 3,4 e 3,5 m) é feito na fábrica e levado para o canteiro de obra, onde é içado para ser instalado no seu devido vão, andar por andar, de baixo para cima, como num jogo de lego.

“E, para que o encaixe seja preciso, o controle de qualidade feito na indústria busca a precisão nos milímetros”, explica o engenheiro de produção William Silva, ressaltando que o ganho de produtividade na obra. Ele está há 17 anos neste segmento, foi o responsável pela execução dos serviços tanto na Estação Ciência como no Fórum Criminal. Ao comparar os dois processos, destaca que o sistema unitizado não precisa de balancim (elevador externo de obra), porque o içamento do painel completo (esquadria já com vidro) é feito por cabo de aço motorizado; sendo rápido e seguro.

Destaque

O painel é composto do perfil de alumínio, parafuso de inox para fixação, vidro e borracha EPM, resistente às intempéries climáticas.

Matéria publicada na Revista Edificar.